Pular navegação

Amigos,

Cá estou eu novamente. Vivo, felizmente. Passei por muitos desafios em 2010, alguns de vida ou morte até. Enfim, voltei para contar-lhes que minha jornada ainda não terminou. Pelo contrário, se modificou, complicou, descomplicou, complicou novamente e assim vou tocando.

Só que dessa vez não vou chorar minhas pitangas… Até porque descobri que pitanga é uma fruta bem gostosa. Quem sabe não existam negócios em potêncial com essa fruta, não é?

Fazendo uma revisão, meu último post foi dia 01/01/2010. Passaram-se exatamente um ano e seis dias até esse post de hoje. E como passou rápido! De qualquer modo a hora é de renovação, fiz promessas, falei, falei e no final não agi. Eis o problema, falta de ação.

Na realidade houveram ações mas muito timidas ainda. Estou planejando um conjunto de ações para o decorrer de 2011, algumas foram iniciadas no final de 2010, outras ainda estão sendo elaboradas.

Confesso que fiquei muito frustrado com 2010. Mas acredito sinceramente que 2011 será um pouco melhor, dada a consciência que percebo ter no momento sobre os fatos que definem meu perfil de consumidor, endividamento, etc.

Esse ano vou aplicar o conceito do livro "A Arte da Estratégia"
do Carlos Alberto Julio. "Pense grande, comece pequeno e cresça rápido!".

Até o próximo. Paz e bem!

Anúncios

Bom, aqui vou eu de novo. Essa virada do ano foi legal, evidenciou que ainda preciso melhorar muito. Claro, as coisas estão acontecendo, as vezes em bom ritmo e as vezes não. Um exemplo gritante são meus gastos não planejados…

É impressionante como consigo gastar tanto dinheiro em tão curto espaço de tempo, geralmente menos de uma semana. A regra de ouro de “investir 10% de tudo o que você receber” não está nem de longe sendo aplicada.

Ou seja, estou perdendo tempo. Por outro lado, estou aprendendo bastante sobre mim. Percebo que em diversos momentos me encontro apático a respeito das minhas finanças. E aqui mora o inimigo pois são nesses precisos momentos que eu me descontrolo e gasto feito um louco.

O pior de tudo é que não são gastos com roupas, livros, coisas materiais, muitas vezes são gastos com comida (sim, tipo deixar de almoçar em um restaurante para fazer uma comidinha em casa, ou coisa parecida). Pior ainda, envolvo outras pessoas nisso e complica tudo mais ainda.

Enfim, é ano novo, tomei uma série de decisões que me ajudaram a melhorar minha saúde financeira no final de 2009. Acredito sinceramente que essas decisões irão dar resultados agora em 2010. E, portanto, continuo a minha jornada. Esse post não é um “follow up” financeiro como os anteriores.

Na realidade esse post é para dar sinal de vida, para mostrar que não parei e que não desisti! Só preciso me reorganizar para criar tempo de escrever mais frequentemente aqui. Em breve farei um post sobre as minhas decisões e metas financeiras para 2010, e nesse dai quero que todos me ajudem com comentários, críticas e enfim, o que for possível.

Ah sim, para finalizar gostaria de dizer que tem sido uma experiência fascinante me conhecer e buscar melhorar meus hábitos. Descobri que hábitos não podem ser eliminados, mas podem sim ser substituídos por outros hábitos melhores. Dai a necessidade de termos a consciência de nossos hábitos, algo trabalhoso, mas que eu acredito, trará excelentes resultados!

Um feliz ano novo para todos os que acompanham esse blog, sucesso, paz, felicidades e principalmente, sábias decisões financeiras para todos, porque elas podem ajudar a conquistar todo o resto. Paz e bem! Até o próximo!

Incentivado pelo Imnomine (Obrigado pelo comentário, de verdade!), resolvi escrever mais algumas linhas nesse blog que deixei um pouco de lado, e confesso, deixei por medo. Medo de não conseguir seguir adiante e acabar com a vergonha de não ter conseguido. Entretanto, aqui estou eu, caminhando de maneira bem discreta por meio das minhas dívidas.

Nunca falei muito dessas dívidas, mas dava para ter uma noção. Apesar disso eu tenho uma planilha com todas elas relacionadas, onde faço lançamentos quando eu “resolvo” uma ou outra dívida. Vou relacioná-las aqui de maneira bem objetiva:

Amigo 1: R$4.000,00
Amigo 2: R$1.390,00
Familiar: R$3.300,00
Amigo 3: R$750,00
Amigo 4: R$300,00
Cartão: R$3.670,00 (*)
Dívida Ap: R$4002,22 (*)
Dentista: R$700,00
Telefone: R$500,00
Computador: R$400,00
Cirurgia: R$500,00

Conclusão que se tira dai? Simples. Não seja meu amigo, é provavel que eu te convença a me arrumar um empréstimo. =) Voltando a falar sério agora, continuemos a análise…

A soma disso tudo é igual a R$21.632,22 e atualmente está em R$17.842,22. A estratégia que eu adotei foi a seguinte:

1. Interromper os débitos que estão sujeitos a juros, esses são os marcados com asterisco, renegociando as dívidas.
2. Negociar o pagamento com os amigos em valores menores (parcelados em proporção).
3. O débito familiar vai ser pago a parte do ano que vem, por ser familiar me sinto ainda pior com esse débito, mas não consigo liquidá-lo agora.

Não sei se é a melhor estratégia, se você que estiver lendo tiver sugestões e quiser deixar um comentário, por favor e muito obrigado pela ajuda!

Bom, além disso negociei com os amigos que tinha um débito muito grande, tipo 1 e 2. E já comecei a pagar alguns deles, hoje paguei R$1.500,00 para o Amigo 1.

Está sendo uma experiência muito boa pagar as dívidas, ainda que aos pouquinhos, está sendo excelente. Finalizei o pagamento da viagem que já comentei aqui, finalizei o pagamento de um empréstimo que cobriu um rombo do cheque especial (coisa que não tenho mais e nem pretendo, por mais disciplinado que eu venha a me tornar). Cada passo dado é um sopro de esperança de transformar 21 mil em dívidas em 21 mil em investimentos.

Sinceramente acredito ser esse o melhor caminho, mas ainda não estou certo disso, apesar de já estar trilhando ele mesmo. Mais uma vez, se tiverem sugestões eu gostaria de lê-las, será ótimo para melhorar essa jornada!
Aproveitando gostaria de postar um link de um blog de uma psicologa gaúcha que encontrei lendo a newsletter do ExpoMoney, o nome dela é Márcia Tolotti. O endereço do blog é:

Gostaria de recomendar especificamente esse texto:

Obrigado por lerem esse blog, e muito obrigado a todos os que deixarem seus comentários.

Aqui vamos nós novamente! Faz um mais de um mês que não escrevo nada sobre minha jornada. E provavelmente isso se deve ao fato de eu estar realmente em maus lençóis. Após conseguir reduzir alguns custos eu praticamente voltei a estaca zero. Para começar a explicar isso eu preciso mostrar alguns números, já falei sobre eles mas dessa vez pretendo explorá-los melhor.
Vou me ater somente a estes pois são mais do que suficiente para explicar meu desaparecimento. Trata-se dos seguintes custos:
Cartão de Crédito: R$414,00
Financiamento 12/14: R$398,98
Viagem 16/16: R$568,73
Mencionei esses custos na segunda postagem que fiz em julho, cujo nome é “Minhas receitas e despesas”. Pois bem, quando fiz esse texto eu esteva desesperado, e acreditava sinceramente que não conseguiria ficar pior. Acredito que eu subestimei a capacidade das coisas ficarem piores, porque agora eu me encontro numa pior, bem pior. Bem, a primeira coisa a ser tratada é do custo “Viagem”. Como dizem meus amigos eu “viajei”, imaginando que em julho eu estaria pagando a última parcela da viagem, R$568,73. O fato é que não foi bem assim…
Para minha surpresa o último cheque entrou em agosto, o que me forçou a buscar um empréstimo com uma tia. Pedi, ela me atendeu, me ajudou e eu consegui pagá-la logo depois com mais um empréstimo. Esse por sua vez feito na empresa que eu trabalho. Eles não são bancos, então é um adiantamento salarial na verdade. O que é ainda pior, pois não estou conseguindo controlar os adiantamentos. Dai acontece que eu emprestei cerca R$1.000,00 da empresa e tinha mais outros débitos com cartão de crédito (R$1.250,00, inclusive por isso que mencionei o cartão de crédito nos itens acima). Bom, se eu deixasse dessa forma com certeza estarei em lençois piores no final de agosto. Então, no desepero quase que completo, eu pedi ajuda de um grande amigo.
Eu tinha absoluta certeza de que poderia contar com ele. Eu ainda tinha mais um cheque, o cheque do “Curso de Gerenciamento” no valor de R$572,82 para entrar na conta também, ao final da conta solicitei um empréstimo de R$4.000,00 para ser pago em dezembro de 2009. O empréstimo também foi sem juros. Minha expectativa é de pagar esse empréstimo com o 13o.
Ok, situação preta, impossível de ver qualquer metro a frente. Não poderíamos considerar isso suficiente, exceto se?
Bem, exceto se eu não descobrisse que meu nome estava sujo graças ao atraso de três parcelas de um seguro fiança para um apartamento que eu haveria de morar no ano passado. Ao final de setembro de 2008 eu aluguei um apartamento com seguro fiança, mantive o apartamento por quatro meses e depois o devolvi. Ao fazer a devolução eu cai no erro de aguardar pela operadora do seguro entrar em contato. Eles até entraram em contato, falaram sobre a dívida mas eu não paguei, enrolei, joguei para frente e esqueci.
Meu esquecimento me rendeu uma dívida de R$4.500,97 reais a serem pagos a partir de outubro de 2009, com quatro parcelas iniciais de R$250,00 e o restante em seis vezes.
Se já não dava para ver nada anteriormente, agora parece que taparam meus olhos. O nome continua sujo, só vou retirá-lo da lama em outubro com o pagamento da primeira parcela. Realmente em julho eu achava que não daria para ficar pior, e ficou.
Certo cara, mas e o que você tem feito a respeito? A resposta é curta e grossa: “Nada!” Estou imóvel, como se algo estivesse me segurando, não consigo tomar uma decisão, não consigo tomar uma ação. Decidi investir em um projeto que poderia dar um retorno mínimo, algo entre 500 ou 700 reais, mas não fiz NADA a respeito. Estou tão desesperado que parece que não consigo sair do lugar. Estou com medo disso, pois é minha vida que está em jogo, quero fazer as coisas acontecerem, mas quando começo passa um monte de coisas na minha cabeça como se nada disso fosse adiantar. E eu paro.
Amigo, seja lá como for, gostaria da ajuda de vocês. Conselhos, comentários, estratégias mentais, qualquer coisa está valendo. Eu realmente preciso de ajuda de vocês que também estão buscando viver financeiramente melhor! Por favor, deixe seu comentário!
Obrigado e até o próximo!
Jungleguy.

Aqui vamos nós novamente! Faz um mais de um mês que não escrevo nada sobre minha jornada. E provavelmente isso se deve ao fato de eu estar realmente em maus lençóis. Após conseguir reduzir alguns custos eu praticamente voltei a estaca zero. Para começar a explicar isso eu preciso mostrar alguns números, já falei sobre eles mas dessa vez pretendo explorá-los melhor.

Vou me ater somente a estes pois são mais do que suficiente para explicar meu desaparecimento. Trata-se dos seguintes custos:

Cartão de Crédito: R$414,00
Financiamento 12/14: R$398,98
Viagem 16/16: R$568,73

Mencionei esses custos na segunda postagem que fiz em julho, cujo nome é “Minhas receitas e despesas”. Pois bem, quando fiz esse texto eu esteva desesperado, e acreditava sinceramente que não conseguiria ficar pior. Acredito que eu subestimei a capacidade das coisas ficarem piores, porque agora eu me encontro numa pior, bem pior. Bem, a primeira coisa a ser tratada é do custo “Viagem”. Como dizem meus amigos eu “viajei”, imaginando que em julho eu estaria pagando a última parcela da viagem, R$568,73. O fato é que não foi bem assim…

Para minha surpresa o último cheque entrou em agosto, o que me forçou a buscar um empréstimo com uma tia. Pedi, ela me atendeu, me ajudou e eu consegui pagá-la logo depois com mais um empréstimo. Esse por sua vez feito na empresa que eu trabalho. Eles não são bancos, então é um adiantamento salarial na verdade. O que é ainda pior, pois não estou conseguindo controlar os adiantamentos. Dai acontece que eu emprestei cerca R$1.000,00 da empresa e tinha mais outros débitos com cartão de crédito (R$1.250,00, inclusive por isso que mencionei o cartão de crédito nos itens acima). Bom, se eu deixasse dessa forma com certeza estarei em lençois piores no final de agosto. Então, no desepero quase que completo, eu pedi ajuda de um grande amigo.

Eu tinha absoluta certeza de que poderia contar com ele. Eu ainda tinha mais um cheque, o cheque do “Curso de Gerenciamento” no valor de R$572,82 para entrar na conta também, ao final da conta solicitei um empréstimo de R$4.000,00 para ser pago em dezembro de 2009. O empréstimo também foi sem juros. Minha expectativa é de pagar esse empréstimo com o 13o.

Ok, situação preta, impossível de ver qualquer metro a frente. Não poderíamos considerar isso suficiente, exceto se?

Bem, exceto se eu não descobrisse que meu nome estava sujo graças ao atraso de três parcelas de um seguro fiança para um apartamento que eu haveria de morar no ano passado. Ao final de setembro de 2008 eu aluguei um apartamento com seguro fiança, mantive o apartamento por quatro meses e depois o devolvi. Ao fazer a devolução eu cai no erro de aguardar pela operadora do seguro entrar em contato. Eles até entraram em contato, falaram sobre a dívida mas eu não paguei, enrolei, joguei para frente e esqueci.

Meu esquecimento me rendeu uma dívida de R$4.500,97 reais a serem pagos a partir de outubro de 2009, com quatro parcelas iniciais de R$250,00 e o restante em seis vezes.

Se já não dava para ver nada anteriormente, agora parece que taparam meus olhos. O nome continua sujo, só vou retirá-lo da lama em outubro com o pagamento da primeira parcela. Realmente em julho eu achava que não daria para ficar pior, e ficou.

Certo cara, mas e o que você tem feito a respeito? A resposta é curta e grossa: “Nada!” Estou imóvel, como se algo estivesse me segurando, não consigo tomar uma decisão, não consigo tomar uma ação. Decidi investir em um projeto que poderia dar um retorno mínimo, algo entre 500 ou 700 reais, mas não fiz NADA a respeito. Estou tão desesperado que parece que não consigo sair do lugar. Estou com medo disso, pois é minha vida que está em jogo, quero fazer as coisas acontecerem, mas quando começo passa um monte de coisas na minha cabeça como se nada disso fosse adiantar. E eu paro.

Amigo, seja lá como for, gostaria da ajuda de vocês. Conselhos, comentários, estratégias mentais, qualquer coisa está valendo. Eu realmente preciso de ajuda de vocês que também estão buscando viver financeiramente melhor! Por favor, deixe seu comentário!

Obrigado e até o próximo!

Jungleguy.

Minha vida estava um caos, resultado de dívidas e da falta de dinheiro para quitá-las. Apesar disso, estou conseguindo caminhar, fiquei sem postar um tempo aqui porque estou atolado com a faculdade também. Vou dar notícias sobre como andam as coisas em breve, minha última prova é amanhã e depois tenho mais 40 dias sem preocupações com faculdade.

Apesar desse mês ter sido o pior de todos acredito que atingi o fundo do poço. Já começo a ver luz no fim do túnel dado algumas decisões que tomei ainda no mês passado. Foi muito difícil tomar as decisões, mas foi muito importante também. Decidir cortar custos, mudar a vida, diminuir o padrão de consumo, tudo isso é muito complicado, mexe com o ego, fere, é dolorido, mas se você quer algo melhor, provavelmente terá que passar por isso.

Continuo com umas dívidas, a maior delas é no cartão de crédito, pretendo trabalhar em cima dessa dívida ainda hoje. Eu financei uma dívida com o cheque especial em 2008, desde então não tenho cheque especial (muito feliz com isso!), já faz um ano e quatro meses que eu não tenho cheque especial. Dizem que é bom ter e saber utilizar. Sinceramente, prefiro não ter porque é tentador demais.

No caso do cartão, eu tinha quatro cartões, fui cortando e hoje estou só com um. Sim, está com dívidas, mas a redução da dívida total em cartões de crédito foi bem maior do que a atual. Então, considero essa dívida atual como a última fronteira antes de uma estabilidade nas dívidas. Sim, sou devedor mas estou fazendo o possível para sair desse situação. Li um artigo hoje e já começo a não me identificar com muitas questões ali:

Artigo na seção Economia da UOL

Enfim, apesar de todos os problemas e complicações existem coisas boas acontecendo. Preciso me concentrar nelas, se eu ficar concentrado nas coisas ruins, não saio do lugar. Eu me conheço e sei como me comporto em relação a isso. Outra coisa interessante foi começar a andar por “águas desconhecidas”, como é isso? Simples, procurei me afastar mentalmente dos problemas, apesar de estar envolvido neles e com isso consegui vislumbrar formas novas de tratar os problemas, de negociar dívidas, de utilizar mais eficientemente a ajuda que me colocam a disposição. Isso está valendo muito a pena.

Um exemplo que não tem a ver especificamente com grana é o seguinte. Conversei com a minha irmã sobre meus problemas de ansiedade, de nervosismo e mesmo de falta de sono. Ela recomendou que eu comprasse chá em sachês, para ser mais claro foram os seguintes:

– Melissa
– Alfazema
– Artemísia
– Maracujá
– Capim Cidrão
– Camomila

Comprei o de camomila por enquanto porque a grana está curta… =) Mas os resultados foram bons, eu tenho tique na perna, não consigo deixá-la parada sem balançar. Isso diminuiu bastante, também tenho bruxismo (ranger de dentes noturno, as vezes chegando a quebrá-los) e por conta dele muita dor de cabeça e dos músculos faciais. Bom, depois de duas semanas tomando camomila diariamente às 16 horas e às 21 horas (não sei porque escolhe essas horas, mas enfim…) eu percebi que a dor de cabeça e dos músculos faciais deu uma boa reduzida.

Pra finalizar, as coisas estão acontecendo, é bom demais perceber os resultados positivos, eles são maioria. Eu não poderia me furtar a compartilhar isso também aqui nesse blog. Obrigado e deixe seu comentário!

Abraços,

Jungleguy.